Principal A Rádio Notícias Programação Enquetes Contato
Notícias

29/09/2015 - Metade das unidades de saúde de Porto Alegre registra casos de violência

Além de criar um clima de pânico na Capital, a violência está batendo à porta de uma das áreas mais sensíveis para a população: a saúde pública. De janeiro a setembro deste ano, nove unidades de saúde fecharam por temor de tiroteio, ameaças ou agressões ocorridas dentro das estruturas.

Um levantamento do Diário Gaúcho mostra que, devido ao problema, a população de Porto Alegre já ficou neste ano 151 horas sem atendimento.

Os dados mostram que a violência que amedrontou a Cruzeiro nos últimos quatro dias está pulverizada por várias regiões da Capital. Foram afetados quatro Pronto Atendimentos (PA), referências em urgência e emergência, e cinco Unidades de Saúde (US), que atendem à população em consultas marcadas e fazem a entrega de remédios.

Metade afetada

De acordo com uma pesquisa realizada pelo Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers), das 141 estruturas como Unidades de Saúde, Pronto Atendimentos e UPAs em Porto Alegre, pelo menos 71 queixaram-se de algum tipo de violência entre janeiro e julho deste ano.

Gesso ficou para segunda

Na última sexta-feira, o auxiliar administrativo Thiago Godoy, 32 anos, saiu de casa, na Avenida Antônio de Carvalho, na Zona Leste, para buscar atendimento no Pronto-Atendimento da Cruzeiro. Ele precisava trocar o gesso do braço, e enquanto aguardava no saguão, pelas 14h, foi surpreendido pelo tumulto das pessoas feridas no tiroteio. Ao perceber a situação, Thiago correu para se esconder dos agressores.



Link: Clique aqui

Últimas notícias

03/12/2015 | Congresso conclui votação da meta fiscal e autoriza rombo de R$ 119,9 bi
01/12/2015 | O que vem pela frente no caso Jardel
30/11/2015 | Anotação diz que BTG Pactual pagou R$ 45 milhões a Eduardo Cunha
25/11/2015 | Senador Delcídio do Amaral é preso na Lava-Jato
17/11/2015 | MP de Minas faz acordo com a Samarco para pagamento de R$ 1 bilhão
Radio Educadora - 1400 AM